20 de março de 2011

RESENHA: UMA DOSE MORTAL - A.Christie (Ed. L&PM)


Mais uma resenha que fará parte da promoção da EDITORA L&PM, que começa hoje. 

UMA DOSE MORTAL

Este livro da Agatha de 1940, que ganhou nova edição no Brasil pela EDITORA L&PM em 2011, conta a história do pacato dentista Henry Morley. 


Henry Morley é um pacato dentista que mora com sua irmã Georgina.  A história inicia com o Dr. acordando mal humorado e discutindo assuntos de trabalho com a irmã. Ele está irritado porque Gladys, sua secretária, irá faltar no serviço. A agenda está cheia e ele não poderia ficar sem ela, mas a tia da moça teve um derrame e ela precisou ir vê-la com urgência. Seu assistente também não lhe é de grande serventia, uma vez que Henry o considera um inútil.

Com tantos clientes e sem tempo de atendê-los, Morley tenta passar alguns para seu sócio, o Dr. Reilly, mas Reilly não transmite confiança a seus pacientes, pois está sempre com as mãos tremulas e cheirando a álcool. Assim, Morley tem que dar um jeito de encaixar todos em um dia bastante corrido.

Um de seus pacientes é Hercule Poirot. Apesar de corajoso, Poirot tem um medo: dentista! É com grande apreensão que naquela manhã fica aguardando ser chamado na sala de espera do Dr. Morley. Enquanto espera, divide a sala com o Coronel Bumby, com quem imediatamente antipatiza. Quando o coronel é chamado para sua consulta com o Dr. Reilly, entra na sala um jovem com aparência que desagrada o detetive, Poirot pensa que o jovem parece um assassino. Mas essa impressão pode ter sido causada por seu estado de pavor por estar no dentista. Ou será que não?

À tarde o inspetor Japp liga para Poirot com uma notícia um tanto estarrecedora: Dr. Morley estava morto. Um tiro na testa e uma arma perto da mão indicavam suicídio, mas Japp não acreditava nessa hipótese.

Mas se não era suicídio, quem teria matado o doutor?

Os suspeitos eram muitos: a irmã de Morley, a secretária Gladys, o sócio Reilly, o atendente Alfred, ou poderia ser algum paciente: Sr. Amberiotis, Srta. Sainsbury Sale, Sr. Alistair (chefe do maior banco da inglaterra), Conoral Bumby, todos estiveram no consultório aquele dia.

Quando se descobre que o afastamento de Gladys foi proposital e que sua tia nunca estivera doente, um outro nome entra na lista de suspeitos: Frank Carter, noivo de Gladys. Dr. Morley não o suportava e até tentara fazer com que a moça desfizesse o noivado. Frank podia ter rancor, Frank podia ser o assassino... Mas um outro fato inusitado acontece. Um dos pacientes do Dr. Morley também morre naquele dia. A causa: overdose de novocaína e adrenalina, produtos que Morley utilizava na anestesia.
Japp resolve então dar o caso por encerrado, afinal, tudo indica que o doutor ministrou a dose errada de anestesia para o paciente e, sabendo que este iria morrer, apavorou-se e optou pelo suicídio. Claro que Poirot não concorda com isso, para o detetive belga as coisas simplesmente não fazem sentido.

Quando um paciente que esteve no consultório naquele mesmo dia desaparece, fica claro que existe alguma coisa por trás da morte do Dr. É preciso investigar. Talvez outros pacientes estejam envolvidos, ou pode mesmo ter sido Frank Carter.

Todos são suspeitos, todos tiveram oportunidade, mas e o motivo? A chave para a solução do mistério é a fivela de um sapato.

Os livros da Agatha sempre têm um culpado e um motivo. UMA DOSE MORTAL não é diferente. A quantidade de personagens e suspeitos é surpreendente, chega a dar um nó na nossa cabeça. É impossível ler e não ir formulando hipóteses acerca de cada um dos personagens, contudo, na página seguinte a gente descarta essas hipóteses, formula outras, depois vê que elas não fazem sentido... A sensação é que nunca conseguimos achar o culpado e o motivo. Ou nosso motivo está errado, ou nosso culpado; ou ainda o culpado morre e faz com que pensemos: Eu tinha certeza que era ele (a), mas se morreu, quem será?

Com certeza um livro que só poderia ter sido escrito pela Agatha.
Outra coisa que gostei muito no livro foi a forma como os subtítulos foram nomeados:  
Um, dois, afivele o sapato;
Três, quatro, feche a porta;
Cinco, seis, junte os gravetos...

Eles lembram o poema do livro O CASO DOS DEZ NEGRINHOS (escrito antes, em 1939):

Dez negrinhos vão jantar enquanto não chove;

Um deles se engasgou e então ficaram nove.

Nove negrinhos sem dormir: mas nenhum está afoito!

Um deles cai no sono, e então ficaram oito...


E, eu não poderia deixar de citar, ambos me lembraram as cantigas dos filmes A Hora do Pesadelo:
Um, dois, O Freddy vem te pegar;
Três, quatro, é melhor trancar a porta;
Cinco, Seis, Agarre seu crucifixo....

*Procurei na internet para ver se a letra do filme foi inspirada nos livros da Agatha, mas não achei nada. Se alguém achar, conta pra gente!


FICHA DO LIVRO


UMA DOSE MORTAL
AGATHA CHRISTIE
Editora: L&PM
Ano: 2011
Nº págs: 224
Gênero: Romance Policial
Formato: 18X11

Cortesia da editora para resenha e promoção


Gostaram da resenha?

Ficaram curiosos para ler o livro?
Então aguardem!

Ainda HOJE começa a promoção dos livros da L&PM.


Comente com o Facebook:

11 comentários:

  1. Linda Resenha, adoro Agatha e a coleção dela na Lpm é gigantesca tenho que ganhar esse livro pra poder completar minha coleção e minhas leituras investigativas...hehehe XD

    Abração! XD

    ResponderExcluir
  2. Esse título também parece prometer uma boa tarde de leitura, e realmente quando os livros tem rimas que se identificam acabamos os ligando a coisas que ja vimos ou lemos que acabam ficando gravadas na memória, melhor que muitas outras coisas já que estão ligadas entre si. Adorei a resenha...beijokas elis!!!!

    ResponderExcluir
  3. Oh, parece ser um delicioso suspense policial ! Eu não sou lá muito fã, mas quando começamos a ler livros assim fica um pouco impossível de se largar o livro. Afinal, quem é o culpado ? E por que ?

    Quem matou o Dr. Morley ?

    ResponderExcluir
  4. Nossa, parece demais! Doidinha pra ler, tomara que eu ganhe!

    Beijinhos, Babi

    ResponderExcluir
  5. Meu primeiro livro que li da Agatha Christie foi o Morte No Nilo!

    Amei incondicionalmente esse livro e ganhei da minha tia uma livros que continha os quatro livros dela!

    Agatha Christie é mesmo a rainha do crime, sem dúvida!

    :D

    @Niikapucci
    facebook.com/Niikapucci

    ResponderExcluir
  6. Tomara que eu ganhei um !!!!


    Bjocas

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. No natal passado meu padrinho me deu um box de Agatha Christie, foi a primeira vez que li algo escrito por ela. Quando terminei minha leitura, queria investigar mais um pouquinho, mas eu não sabia qual dos livros dela eu iria ler e agora, depois de ler a tua resenha, já sei qual será o próximo título! Adorei.

    ResponderExcluir
  9. Comprei esse livro mas, tô enrolando pra ler faz tempo. Sua resenha me animou um pouco e ele srá o próximo na lista de leitura :)

    ResponderExcluir
  10. Um dia eu ainda leio um livro dessa autora,sempre tive curiosidade dos suspenses q ela escreve ;D

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir

* Deixe seu comentário e me faça feliz :D
* Se você tem um blog, não esqueça de deixar o link.