31 de maio de 2013

PROMOÇÃO: NO ESCURO - Elizabeth Haynes (Ed. Intrínseca)

Oi, gente!

Para fechar esse finalzinho de tarde com chave de ouro, decidi colocar mais uma promoção no ar :)

Esta semana a INTRÍNSECA me mandou por engano outro exemplar de NO ESCURO. Por isso, resolvi sortear ele para vocês \o/

No Escuro

Para participar é fácil, basta seguir três regrinhas:

1.      Seguir o blog publicamente (em Participar deste Site)
2.      Deixar um comentário na resenha do livro, que está AQUI.
3.      Deixar email ou twitter de contato após o comentário

Prontinho, vocês já estão concorrendo!

Mas ATENÇÃO: comentários como “gostei”, “bacana”, “legal”, “quero ler”, etc, NÃO serão considerados.

Cada comentário na resenha receberá um número em ordem crescente.
O sorteio será realizado pelo RANDON.ORG

Quem NÃO comentar na resenha NÃO estará concorrendo.
Quem comentar apenas no post da promoção também NÃO estará concorrendo.

O comentário tem que ser na RESENHA.

A promoção tem início hoje, 31/05, e termina em 24/06.

VENCEDORA:


PROMOÇÃO: O PESSEGUEIRO - Sarah Addison Allen (Ed. Planeta)

Oi, de novo :)


Vocês viram que acabei de postar a resenha de O PESSEGUEIRO da SARAH ADDISON ALLEN. Em parceria com a PLANETA vamos sortear um exemplar para vocês.

O Pessegueiro

Para concorrer basta:

1.    Seguir o blog via Google Friend Connect (em PARTICIPAR DESTE SITE)
2.    Seguir @S2LerMRVentura no twitter 
3.    Seguir @A_Planeta  no twitter 
4.    Deixar a frase: "Participando" nos comentários com seu NOME, NOME DE SEGUIDOR DO BLOG e TWITTER.


5. Twittar a frase: O PESSEGUEIRO, novo livro da #SarahAddisonAllen será meu! Parceria @S2LerMRVentura e @A_Planeta. Regras>>http://kingo.to/1hoG

Vencedora: @1Dfeatigers
Link: http://beta.sorteie.me/r/Lh6




A promoção começa hoje, 31-05, e vai até dia 24-06.

RESENHA: O PESSEGUEIRO - Sarah Addison Allen (Ed. Planeta)

Oi, gente! Bom dia.

Estou toda feliz para contar para vocês como foi meu primeiro contato com a autora SARAH ADDISON ALLEN, que escreveu O PESSEGUEIRO lançado pela editora PLANETA.

O PessegueiroSINOPSE: Willa Jackson vem de uma antiga família que ficou arruinada gerações antes. A mansão Blue Ridge Madam, construída pelo bisavô de Willa durante a época área de Walls of Water, e outrora a mais grandiosa casa da cidade, foi durante anos um monumento solitário à infelicidade e ao escândalo. Mas Willa soube há pouco que uma antiga colega de escola – a elegante Paxton Osgood – da abastada família Osgood, restaurou a Blue Ridge Madam e a devolveu à sua antiga glória, tencionando transformá-la numa elegante pousada. Talvez, por fim, o passado possa ser deixado para trás enquanto algo novo e maravilhoso se ergue das suas cinzas. Mas o que se ergue, afinal, é um esqueleto, encontrado sob o solitário pessegueiro da propriedade, que com certeza irá fazer surgir coisas terríveis. Pois os ossos, pertencentes ao carismático vendedor ambulante Tucker Devlin, que exerceu os seus encantos sombrios em Walls of Water setenta e cinco anos antes, não são tudo o que está escondido longe da vista e do coração. Surgem igualmente segredos há muito guardados, aparentemente anunciados por uma súbita onda de estranhos acontecimentos em toda a cidade.

Fiquei sabendo da “existência” da autora quando o submarino fez uma promoção de livros a 10 reais e colocou na lista A GAROTA QUE PERSEGUIU A LUA. De tanto a Alba do blog PsychoBooks falar sobre o livro e a autora, acabei comprando. Pouco tempo depois vejo a Alba novamente falando da autora e de O PESSEGUEIRO que seria lançado pela PLANETA em maio. Claro que quando maio chegou corri solicitar esse livro com a editora, e só posso dizer que estou tendo uma crise de amor pela SARAH.

O PESSEGUEIRO é um livro completamente fofo, que fala de amor, amizade, mudança de atitude, realizações, expectativas, e, não bastando, tem um toquezinho mínimo de sobrenatural. Nada do que estamos acostumados com os sobrenaturais de hoje em dia, mas traz uma sutileza tão grande ao inserir esse pequeno fator no livro que mal percebemos a existência dele.

O primeiro motivo por ter ficado tão encantada por O PESSEGUEIRO é porque eu já sabia que haveria um crime a ser desvendado. Não é novidade que eu adoro livros policiais, mas não é porque um livro traz um crime na narrativa que ele precisa ter tons detetivescos, ao contrário, assim como em O PESSEGUEIRO, o assassinato pode ir se revelando de forma sutil e delicada. Toda a história do passado da Blue Ridge Madam é tão intensa e tão ricamente construída que não ficamos ansiosos por descobrir criminosos, mas sim para descobrir mais e mais fatos que estiveram ao redor daquela casa e de Walls of Water.

TODOS os personagens, TODOS mesmo, são fantásticos! É muito difícil lermos um livro que não tenha um ser insuportável na narrativa, e mesmo O PESSEGUEIRO contando com tal personagem, é impossível antipatizar com ela, rs. Fiquei completamente encantada com todos, mas a história de amizade das avós de Paxton e Willa me conquistou, e as duas velhinhas, que moram em uma casa de repouso, ganharam meu coração.

ADOREI ler cada pedacinho da amizade das duas. Desde a infância, passando pela adolescência, as brigas, o afastamento, a reaproximação, o juramento de amizade eterna... Chega um momento da narrativa em que elas roubam a cena e o mundo parece pertencer à juventude delas e tudo o que elas viveram.

Além disso, o livro traz personagens que amadurecem, que se descobrem, que mudam de atitude conforme o tempo, que buscaram seus ideais, que aprenderam com seus erros do passado e estão lutando para acertar.

ALLEN tem uma narrativa singular, extremamente zelosa e perfeita. Quis ler O PESSEGUEIRO para conhecer uma autora que era bem falada, e agora me vejo tonta e caindo de amores pelo que ela é capaz de escrever.


O PESSEGUEIRO é, sem dúvida, leitura mais que recomendada. É obrigatória!



FICHAS DOS LIVROS

O PESSEGUEIRO
SARAH ADDISON ALLEN
               Ano: 2013                   
Editora: PLANETA 
Nº págs: 256
Gênero: Romance, Drama, Sobrenatural

30 de maio de 2013

RESENHA: INFERNO - Dan Brown (Ed. Arqueiro)

Boa tarde, pessoal.

É com uma super empolgação que venho falar pra vocês o que achei de INFERNO, o novíssimo livro do DAN BROWN lançado pela ARQUEIRO.

Inferno
SINOPSE: Busca e encontrarás! Essa é a mensagem da bela senhora de cabelos prateados. Diante dela estende-se um mar de corpos agonizantes, alguns enterrados de cabeça para baixo até a cintura – uma cena bizarra, dantesca. Langdon tenta fazer contato, perguntar quem é ela, o que deve procurar... Mas então ele acorda. Desmemoriado, ferido, a milhares de quilômetros de casa. E de posse de um objeto muito misterioso: um minitubo de metal, com lacre biométrico e o ícone de risco biológico gravado na lateral. Decidido a não abrir o tubo, que pode conter algum material muito perigoso, o renomado simbologista entra em contato com o consulado, em busca de ajuda. Mas algo inesperado acontece: o governo de seu próprio país manda alguém matá-lo. Quando já não sabe mais o que fazer, Langdon encontra a primeira pista que o ajudará a descobrir o que está acontecendo: a imagem do Mapa do Inferno, de Botticelli, uma famosa obra de arte inspirada no Inferno, de Dante Alighieri. Na companhia de Sienna Brooks, uma jovem médica superdotada, ele parte numa jornada alucinante pela Itália, até um dos lugares mais fantásticos do mundo. Dessa vez Robert Langdon precisa usar sua grande habilidade como simbologista para salvar a própria vida e conter uma ameaça que pode destruir toda a humanidade.

Acredito que INFERNO foi aguardadíssimo pelos fãs do autor. Meu primeiro contato com DAN BROWN foi com O CÓDIGO DAVINCI, o que, acredito, tenha acontecido com a maioria. Na época eu cursava Publicidade e tínhamos História da Arte na grade, a professora indicou, uma amiga leu e gostou, e eu mergulhei na onda e descobri esse autor maravilhoso que mescla arte, ciência, ficção, realidade e temas polêmicos em seus livros.

Após O CÓDIGO DAVINCI, quis conferir outra obra do DAN, e quase tive uma síncope ao ler ANJOS E DEMÔNIOS, que para mim, será eternamente o melhor livro do autor. Depois disso me tornei uma apaixonada incondicional por DAN.

Esse ano o mundo parou para comentar sobre INFERNO. E essa é uma coisa que me deixa besta quando falamos de DAN BROWN, o MUNDO pára para falar, comentar, elogiar, ou criticar seus livros. Chega a dar um friozinho na barriga ver que todo o planeta está falando de um mesmo autor, de um mesmo livro e morrendo de ansiedade para poder conferi-lo.

Fiz parte dessas pessoas que estavam roendo as unhas por INFERNO. Cheguei a dar pulos de alegria quando soube que o livro seria ADIANTADO (obrigada ARQUEIRO), e quase enfartei quando meu exemplar chegou aqui em casa. Comecei a leitura no mesmo dia; no dia seguinte já tinha acabado e me lamentava por ter que esperar mais sabe Deus quantos anos por um novo livro desse homem. O bom é que ele sempre faz a espera valer à pena.

Em INFERNO temos uma mistura de literatura, pintura, arquitetura, todo um mundo de arte que nos deixa fascinados. É impossível ler sobre um quadro e não correr no computador para ver sua imagem. Não tem como ler sobre um determinado lugar ou ponto histórico da Itália e não ir ao Google buscar as imagens. Eu já sabia tudo o que esperar de INFERNO, mas mesmo assim a leitura me surpreendeu.

Enquanto que os outros livros do DAN fizeram-me mergulhar no mundo das artes e apreciar a narrativa por esses fatores, INFERNO laçou-me por seu lado científico e social. O problema da superpopulação apresentado no livro faz com que seja impossível não pararmos para refletir sobre a atual situação que o planeta se encontra. E preciso aproveitar essa parte para falar: que VILÃO fantástico em INFERNO. Sei que muitas vezes simpatizo com o vilão, mas dessa vez posso dizer que realmente virei fã do cara. É ele quem expõe o problema da superpopulação e é ele quem encontra uma solução para a questão. O pior é que durante a leitura os argumentos dele foram tão convincentes, que passei para o lado dos bandidos.

Sim, confesso sem nenhuma vergonha. O vilão expõe um problema real, de proporções gigantescas e é impossível não ver que ele está certo no que fala. Claro que passamos a narrativa inteira pensando que o sujeito vai resolver as coisas de um jeito completamente dramático, aterrador e arrasador, mas nem assim consegui deixar de ver alguma razão naquilo que ele falava. Foi por isso que a cada página eu torcia para que Langdon falhasse. Eu ADORO o professor, mas ele tem um lado humano muito forte, que não lhe permite ver com a razão os fatos expostos, que não lhe permite enxergar uma equação matemática simples, e Langdon não consegue enfrentar isso por ser uma pessoa muito ligada às suas emoções.

INFERNO me surpreendeu por trazer apenas uma critica à Igreja Católica. Acostumei-me a ANJOS E DEMÔNIOS, e acho que esperava ver mais criticas e revelações sobre a religião, mas BROWN se conteve e fez um singelo comentário, que talvez vá incomodar os mais conservadores, mas já está na hora de essas pessoas terem a mente mais aberta para as questões sexuais.

O final do livro me surpreendeu de forma magnífica! A solução encontrada para o problema da superpopulação deixou-me de boca aberta, pois jamais imaginei tal desfecho.  O mais interessante é que ao fechar o livro passamos a refletir se não seria essa a real solução para um problema que indiscutivelmente existe e só cresce a cada dia.


Fiquei completamente apaixonada por INFERNO e a questão social que abordou. Acredito que o final tenha sido escolhido por ser algo que reflita a opinião do autor sobre o tema. Se a intenção de DAN era colocar o mundo para refletir sobre o problema, ele atingiu o objetivo. Tenho certeza que muita gente vai ficar pensando nisso por dias, eu pelo menos estou.



FICHA DO LIVRO





INFERNO
DAN BROWN
Editora: ARQUEIRO
Ano: 2013                   
Nº págs: 448
Gênero:Suspense, Suspense Histórico


29 de maio de 2013

RESENHA: OS IMPOSTORES - Chris Pavone (Ed. Arqueiro)

Boa tarde, pessoal.

Quem acompanha o blog sabe que eu ADORO livros policiais. E uma editora que eu também ADORO é a ARQUEIRO, que todos os meses lança ao menos um livro do gênero. Nesse mês a editora lançou OS IMPOSTORES do CHRIS PAVONE.

Os ImpostoresSINOPSE: Kate Moore é uma mãe que trabalha fora e luta para equilibrar as despesas e o orçamento, criar os filhos, manter viva a chama do casamento... e guardar um segredo cada vez mais difícil de suportar. Por isso, quando seu marido, Dexter, recebe uma proposta de emprego em Luxemburgo, ela agarra a chance de deixar para trás sua vida dupla e recomeçar do zero longe de Washington. 

Em outro país, Kate se reinventa, enquanto Dexter trabalha sem parar num emprego que ela nunca entendeu, para um cliente que ela não pode saber quem é. Em pouco tempo, a confortável vida europeia com que sonhava se revela uma rotina cansativa em que o marido vai ficando cada vez mais distante e evasivo e ela, solitária e entediada. 

Chega então outro casal americano, que faz amizade com Dexter e Kate. Mas ela logo desconfia que os novos amigos não sejam exatamente quem dizem ser – e fica apavorada diante da possibilidade de estar sendo perseguida por fantasmas do passado. 

Assim, Kate começa a investigá-los e acaba descobrindo camadas e mais camadas de mentiras que a cercam e, por trás disso tudo, um golpe extremamente bem elaborado que ameaça sua família, seu casamento e até sua vida.


Fico extremamente feliz com cada lançamento policial que a ARQUEIRO faz e quero ter a chance de ler todos eles. Com esse objetivo em mente, solicitei OS IMPOSTORES e estava pronta para me maravilhar com a leitura e me tornar fã de outro autor de policiais, mas, infelizmente, o livro do PAVONE não me conquistou.

Primeiramente, tenho que dizer que fiz uma ideia errada do livro e fui para a leitura com altas expectativas. Por falar de segredos no casamento, acreditei que teríamos uma história tipo Sr. e Sra. Smith, cheia de ação, reviravoltas, suspense, mas que também fosse uma história sexy. Não encontrei nenhum desses elementos na narrativa. Kate e Dexter são um  casal é frio e distante, não têm diálogo, não parecem ter um relacionamento real e principalmente, não têm química alguma. Analisando-os como personagens únicos, e não como um casal, acabei achando a mesma coisa. Kate, mesmo escondendo sua profissão do marido, em NADA se assemelha com outros personagens que possuem a mesma profissão. Considerei-a boba, reclamona e excessivamente melancólica. Dexter parece um bobalhão, daqueles que fala: “hãnnnn” para tudo.

Achei o enredo tão enfadonho quanto Kate. A narrativa parece que se arrasta, a tensão é mínima, a surpresa não existe e o final é previsível. O triste é que a ideia é ótima, acredito que faltou foi personagem para caracterizar e convencer o leitor daquilo que o autor queria passar.

Realmente não gostei da história e não pretendo me arriscar com próximos lançamentos do autor. 


FICHA DO LIVRO





OS IMPOSTORES
CHRIS PAVONE
Editora: ARQUEIRO
Ano: 2013                   
Nº págs: 336
Gênero:Suspense, Policial


28 de maio de 2013

RESENHA: CASA DE VERÃO - Marcia Willett (Ed. Bertrand Brasil)

Bom dia, pessoal.

A resenha de hoje é de um dos lançamentos da BERTRAND BRASIL: CASA DE VERÃO da MARCIA WILLETT.

Casa de VerãoSINOPSE: Matt sempre sentiu que faltava algo em sua vida. Em uma caixinha marchetada, sua mãe guardou lembranças da infância do filho. Entre elas, várias fotos de quando ele era menino. Mas há algo que o intriga naquelas fotos. Seria mesmo ele ali? Por que ele não se lembra daquelas roupas? Dos brinquedos? E mais: por que sua irmã, Imogen, não aparece nas fotografias?
Diferentemente da maioria das escritoras do gênero, os romances de Marcia Willett fogem do pieguismo e dos lugares-comuns. Aproximam-se mais da vida real das pessoas, narrando situações complexas e verossímeis. No caso específico de Casa de verão, a autora aborda os mistérios que surgem em meio a uma família.


Assim que li a sinopse fiquei interessada no livro. Ele parecia ser daqueles dramas que trariam um mistério especial e ao mesmo tempo nos tocariam tamanha sensibilidade da narrativa. Foi tendo essas expectativas em mente que mergulhei na leitura de CASA DE VERÃO.

A realidade foi bastante diferente. Até a página 100 me vi completamente envolvida por uma narrativa fluida, personagens maravilhosos e uma história contagiante. WILLETT criou um grupo de personagens fascinantes, que fizeram com que me apaixonasse imediatamente. Cada um deles tem um drama pessoal bem interessante e fiquei alvoroçada para saber cada vez mais sobre tudo e todos, porém, eu queria ler mais sobre Matt e a Casa de Verão a qual continha as misteriosas fotos, e essa parte não chegava NUNCA!

O livro tem 300 páginas, e fiquei da 100 até a 250 lendo coisas e mais coisas sobre o passado de todas as personagens do livro, menos daquele que tanto interessava e que deveria ter aparecido mais na história. Claro que WILLETT soube colocar todos seus personagens como protagonistas em algum momento, e eu admirei-a imensamente por isso, mas eu ansiava por ler páginas e mais páginas daquilo que eu havia lido na sinopse e que era de fato o que fizera com que eu tivesse interesse pelo livro. Foi então que comecei a pegar raiva da demora em desenvolver o fato principal, e do exagero ao ficar batendo em cima de personagens que claramente já não tinham mais o que mostrar.

Eis que nas últimas 50 páginas do livro a narrativa volta a surpreender, e traz, finalmente, tudo o que eu queria ler. E sim, foi melhor, MUITO melhor, do que o que eu havia imaginado durante a leitura. O final foi surpreendente, dramático, triste, mas maravilhoso. O personagem de Matt, apesar de ter achado que apareceu pouco, conquistou de vez meu coração e eu fiquei novamente fascinada pela escrita de WILLETT.


Contudo, infelizmente, não posso esquecer a sensação que tive de que ela estava tentando me enrolar no meio do caminho. Por isso, não posso dizer que o livro foi excelente do começo ao fim, mas que recomendo a leitura, isso eu recomendo.


FICHA DO LIVRO


CASA DE VERÃO
MARCIA WILLETT
Editora: BERTRAND BRASIL                      
Ano: 2013                  
Nº págs: 308
Gênero: Drama