19 de setembro de 2013

RESENHA + SORTEIO: QUANDO ELA ACORDOU - Hillary Jordan (Bertrand Brasil)

Boa tarde, pessoal.

Ontem recebi QUANDO ELA ACORDOU, livro de estréia da HILLARY JORDAN, lançamento da BERTRAND BRASIL.


Quando Ela AcordouSINOPSE: Hannah Payne dedicava a vida à igreja e à família. Mas, ao ser condenada por assassinato, ela desperta num corpo novo, para uma nova vida que parece um pesadelo. Descobre-se deitada sobre a mesa de um quarto vazio e se vê vestida apenas por um traje de papel. Agora, câmeras transmitem cada movimento de Hannah a milhões de pessoas em suas casas. Elas observam os novos criminosos Cromos, cuja cor da pele foi geneticamente alterada para combinar com o delito que cometeram. Hannah é uma Vermelha, uma assassina. A vítima, diz o Estado do Texas, foi seu filho que não chegou a nascer, e Hannah está decidida a proteger a identidade do pai do bebê, uma figura pública com a qual viveu uma paixão intensa e proibida.

Desde que vi a capa de QUANDO ELA ACORDOU fiquei interessada pelo livro. Sim, foi um caso de querer ler pela capa, e que deu muitíssimo certo. O livro chegou ontem e não consegui parar de ler até chegar ao final. 

Para quem não sabe, em QUANDO ELA ACORDOU, a autora utiliza a mesma premissa usada em A LETRA ESCARLATE. Em A LETRA ESCARLATE temos uma moça que se envolve com um religioso e engravida dele. Já li o livro, e é, sem dúvida, um dos melhores clássicos. Para quem ainda não leu e não gosta de clássicos, recomendo o filme, apesar de esse não fazer mistério sobre a identidade do pai e acabar com a surpresa nos primeiros minutos.

Na narrativa de HILLARY também não há surpresa nem mistério quanto à identidade do pai. Hannah, uma moça bastante religiosa, engravida do pastor (casado) de sua congregação.  Tudo seria muito comum, simples e até igual a A LETRA ESCARLATE, não fosse a incrível mistura temporal que a autora conseguiu criar.

Se por um lado temos uma sociedade submissa à igreja, a fé, e a tudo que eles pregam, como se estivéssemos no século passado; do outro temos uma avançada tecnologia, em que criminosos não ficam em cadeias, e sim são cromados (recebem cores), de acordo com seus crimes. Temos os amarelos, laranjas, azuis; cada um deles fazendo parte de um grupo de criminosos. Hannah, nossa personagem principal, é uma vermelha.

O ponto forte do livro é Hannah. É difícil termos uma personagem feminina de personalidade tão forte e cativante. Apesar de sua educação religiosa ter sido rigorosa, Hannah sempre foi alguém que questionou. Questionou a fé, as palavras da Bíblia, a cegueira religiosa. Adorei o ponto em que a protagonista traz o tema dos dinossauros à baila. Apesar de aceitar a condição a qual foi criada, ela sabe que o mundo tem muito mais que aquele universo que a inseriram e é curiosa a respeito dele. Após seu envolvimento com o religioso, ela acaba cometendo um crime, e para proteger a identidade do pai de seu filho, sofre todas as consequências de uma sociedade nada misericordiosa, e afundada em um cego pensamento religioso.

O livro pode incomodar algumas pessoas. Particularmente, ADORO quando autores abordam temas religiosos, o “beatismo”, e a devoção cega à fé. Os mais religiosos podem se sentir incomodados com as criticas da autora, e os não tão religiosos podem icomodar-se igualmente devido a quantidade de páginas que é gasta para explorar esse fanatismo. Nesse aspecto, HILLARY me lembrou muito de Stephen King, que quase sempre coloca um fanático em seus livros para poder criticar algumas visões da igreja perante a sociedade. A autora também conseguiu esse efeito, e foi além... Não nos encontramos só com fanáticos, mas com gente que está disposta a matar e morrer por um tipo de fé que acreditam ser a “correta”.

Como eu disse, além da perspectiva religiosa, que parece nos remeter ao século passado, a autora aborda a tecnologia de uma forma que faz parecer que estamos anos à frente. São computadores que obedecem comando de vozes e encontram pessoas no meio das ruas, emails com mensagens através de vídeos, monitoramentos... Essas coisas até podem parecer comuns, mas quando vocês lerem, e observarem a religião, a submissão da mulher perante o homem, e vários outros fatores, vão entender que essa tecnologia parece algo bastante futurista inserida nesse ambiente tão opressor. Além disso, temos a coisa de cromar as pessoas. Ao mesmo tempo que adorei a ideia da autora, achei assustadora. Não sei vocês, mas sempre que leio alguma Distopia, fico imaginando que aquilo poderia de fato existir, e algumas passagens de QUANDO ELA ACORDOU me assustaram pra valer quando pensei na possibilidade de se tornarem reais.

HILLARY JORDAN ainda explora outros temas polêmicos em seu livro, como o tráfego de mulheres, a prostituição, o racismo, e mil outras facetas do ser humano. Mas, a abordagem religiosa, foi realmente o que me conquistou na leitura. Quando Hannah passa a morar em uma “comunidade” é verdadeiramente aterrorizante ver a forma como as pessoas vivem, se tratam, ao que se submetem, e os castigos que estão dispostos a receber pelo perdão de um Deus.

O que senti falta no livro foi de uma explicação de como a sociedade se tornou tão cegamente devota, parecendo dar um salto gigante no passado ao acatar os preceitos religiosos que lhes foram impostos. Ok, houve um fato que colocou grande parte da população em risco e os afetou com a esterilidade, e por isso o aborto é o tema central da narrativa, porém, ainda assim, não achei que isso foi motivo suficiente para a sociedade agir de forma tão retrógada.

Quanto ao romance que permeia a vida de Hannah, ele é ricamente construído e me conquistou no começo, contudo, após acompanhar o sofrimento de Hannah, esperei desesperadamente por uma vingança contra o reverendo e me senti frustrada tamanha a devoção de uma mulher tão inteligente, realista e pragmática quanto Hannah em relação ao amor. Mas ela é uma mulher que segue sempre a razão, e por isso, a autora nos brinda com um incrível final, desses que nos faz sentir completa satisfação ao terminar o livro.

QUANDO ELA ACORDOU é uma narrativa de um brilhantismo extremo, em que cada palavra nos leva a um outro universo. As Distopias estão na moda, mas esse livro é diferente de tudo que conferimos em relação ao gênero. Recomendo para todos. É incrível, fantástico, e nem todos os elogios fariam jus ao texto apresentado por HILLARY JORDAN. Diante dessa junção de Distopia, com adaptação de um clássico, só posso dizer que a autora é realmente um gênio! Foi uma criação completamente revolucionária.


Aproveito o momento e chamo atenção também para a edição da BERTRAND BRASIL. Temos uma capa linda, em soft touch, e com o rosto vermelho em verniz, mas capa não é tudo, a diagramação, sim! E esse foi um dos livros mais perfeitos que já tive o prazer de ler. As letras são grandes, assim como o espaçamento, o que torna a leitura imensamente confortável. É aquele livro que você lê pela madrugada toda e jamais se cansa. A editora está de parabéns pela edição e também por nos trazer esse excelente livro. QUANDO ELA ACORDOU merece nota MIL em todos os quesitos. 




Quer ganhar um exemplar de QUANDO ELA ACORDOU?

1. siga o blog publicamente (em PARTICIPAR DESTE SITE),  
2. Deixe um (apenas UM) comentário VÁLIDO nessa RESENHA  (gostei, legal, bacana, etc, não serão considerados)
3. Deixe seu endereço de E-MAIL ou TWITTER para que eu possa entrar em contato.


Cada comentário receberá um número em ordem crescente, e o sorteio será feito pelo RANDON dia 07/10

VENCEDORA:



FICHA DO LIVRO


QUANDO ELA ACORDOU
HILLARY JORDAN
Editora: BERTRAND BRASIL                                   
Ano: 2013                  
Nº págs: 434
Gênero: Drama, Distopia

Comente com o Facebook:

21 comentários:

  1. Realmente me interessei. A maioria das distopias que vejo atacam o governo, então atacar o fanatismo religioso já é um diferencial e tanto. Quero ler sim.

    @GabiCZ

    Abraço!
    http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito da resenha e fiquei interessada pelo livro. A história me cativou, gosto de ler coisas que mexem com paradigmas e expõem novas formas de ver certos padrões ditados pela sociedade. Além disse, tem um romance e mostra o que uma pessoa pode fazer para proteger aquilo que realmente importa para ela, olhando pelo lado da Hanna e também pelo lado do reverendo.

    sheilasena@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá! Muito me interessei neste livro! Adoro drama e temas que envolvam assuntos polêmicos! Esse parece ser um dos bons pelo que li em sua resenha, parabéns.
    Abraço.
    e-mail:deiah21@bol.com.br

    ResponderExcluir
  4. Estou aqui morrendo de vontade de ler esse livro. Além de amar distopias eu adoro livros que tenham o tema religião como fanatismo e isso tudo me fascina. E que livro deve ser esse! Nunca li o livro A Letra Escarlate e também fiquei com vontade de ler. A capa é mesmo linda. E a história mais fascinante ainda! Amei sua resenha, vc colocou muita força e paixão nela!
    Beijos
    Adriana Balreira
    adriana.balreira@gmail.com
    @adrianabalreira

    ResponderExcluir
  5. Nossa! Achei muito interessante, além de ter uma capa linda!
    Não li muitas distopias mas gosto bastante da ideia, também me dão esse medo e sensação de que tudo aquilo vai realmente acontecer um dia...

    jessica.tina.marques@gmail.com

    fleur-du-matin.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Já fiquei apaixonada pela capa que é linda. Agora lendo a sua resenha, fiquei mais que encantada com a história e a personagem. Realmente usar a religião na história foi incrível, nem todo autor gosta muito de falar tão abertamente sobre o domínio e exageros que nela ocorrem. brilhante e vou adorar ler e saber qual vai ser o desfecho dela. Beijos.

    elizabethmsalles@hotmail.com
    @Machado_Salles

    ResponderExcluir
  7. Que demais deve ser esse livro, depois da resenha tive que fazer minhas pesquisas sobre o livro. Incrível como tu consegue fazer a pessoa ficar doida pelo livro. Gostei muito dos pontos que tu destacou, principalmente pela personagem Hannah, quero muito conhecê-lo. E também estou curioso para conhecer a diagramação que ao seu ver é tão linda. =D Perfeito!

    @rafa__rafa
    rafersom@hotmail.com

    ResponderExcluir
  8. Excelente resenha, fiquei com muita vontade de ler o livro. Gosto de distopias, mas não é meu tipo favorito de leitura. Mas sua resenha me deixou bastante curiosa. Parabéns!
    figueira.michelle@gmail.com

    ResponderExcluir
  9. Nossa viajei nessa resenha, meu deu uma vontade louca de ler, é meu tipo de livro esse tipo de história rica em detalhes, quero muito.
    email: ediene-maya@hotmail.com

    ResponderExcluir
  10. Quando li a sinopse desse livro, não pensei que fosse tão forte. Gosto de histórias que desafiem o padrão, o que se julga correto e muitas vezes não é para todos, como no caso, a religião. E livros que falem sobre outros assuntos que são velados na sociedade, como se não existissem e vivêssemos num mundo bonito.

    E A letra escarlate está também na minha lista.

    cellyborgesamado@gmail.com
    @cellyborges

    ResponderExcluir
  11. Parece ser bem interessante, pela resenha deu pra sentir que que é um livro e tanto, pra ler e reler e emprestar pros amigos!
    email:jvsantosampaio@hotmail.com

    ResponderExcluir
  12. Bem legal a resenha, você destacou bem os ponto principais e conseguiu me deixar com vontade de ler! Quero muito ganhar.

    ResponderExcluir
  13. Essas histórias são arrepiantes, parece um filme que já assisti. Imagina acordar condenada, de uma forma que não tem como esconder de ninguém, porque a pele está vermelha. E vermelho é a cor dos assassinos. Espero que isso nunca aconteça realmente. que fique só nos livros. Boa resenha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E-mail: tania.schubert@pop.com.br
      Twitter: @TaniaSchubert

      Excluir
  14. Esse livro, parece ser O LIVRO. Não li o livro, tampouco assisti o filme de A Letra de Escarlate. Mas pretendo... E sim gostei bastante do ponto que você mais focou do livro, a crítica sobre a religião, fiquei fascinada pelo que você falou na resenha. Sem dúvidas deve ser uma ótima leitura, agora estou precisando ler ele. haha

    Kamilla Evely, kamillafox@gmail.com/@kamillaevely.

    ResponderExcluir
  15. Nunca li livros com esse tema não... confesso que não sou muito chegado... mas gostei da resenha e me interessei pela história... pela capa do livro ja da pra ver que aborda um tema polemico... :)
    douglas_bouvier@yahoo.com.br
    @doug_fo

    ResponderExcluir
  16. Nossa depois de tudo que li fiquei bem curiosa coma a leitura Mariana, já vi o filme A Letra Escarlate e gostei bastante do livro abordar o tema religioso, penso igual a você nessa questão e fiquei curiosa coma a capa e a diagramação, vou procurar o livro na livraria pra saber mais um pouco.
    cristiane.o35@hotmail.com
    @Cristiane_o35

    ResponderExcluir
  17. Não li ainda A Letra Escarlate mas está na minha lista de clássicos p/ ler (essa lista está emperrada pq não quero eles em versões pockets baratinhas, e as outras edições são caras =P rs!).
    Parece ser interessante a história sob o aspecto que ela aborda, o que sempre digo é como é interessante os autores escrevendo sobre seus medos do futuro e como acreditam que as coisas serão ou deveriam ser.

    Miquilis: Bruna Costenaro/ @BruFinland/ bruheadbanger@hotmail.com/ GFC: Bru Costenaro

    ResponderExcluir
  18. Realmente a capa desse livro chama a atencao.
    Ainda nao li A Letra Escarlate, vou ler para saber mais.
    Mas gostei bastante da tematica desse livro. Eh bom quando um livro consegue mexer com os sentimentos de muitas pessoas diferentes.

    bjs

    ResponderExcluir
  19. Adoro essa mistura de drama e suspense! A capa chama muito atenção para a a curiosidade do enredo. Adorei!

    ILANA PRUDENTE
    E-MAIL: prudente.ilana@gmail.com
    SEGUIDORA: Ilana Prudente

    ResponderExcluir
  20. Ganheeeei, oba! Já enviei os dados para o e-mail! Muito, muito obrigada! ^_^

    ResponderExcluir

* Deixe seu comentário e me faça feliz :D
* Se você tem um blog, não esqueça de deixar o link.