11 de maio de 2016

RESENHA: SPOTLIGHT: SEGREDOS REVELADOS - Equipe do The Boston Globe (Ed. Vestígio)



Olá, pessoal!

Hoje vou falar sobre um dos livros mais desejados por mim: SPOTLIGHT: SEGREDOS REVELADOS, escrito pela equipe de jornalismo do The Boston Globe, e lançado pela editora VESTÍGIO.

Spotlight: Segredos ReveladosSPOTLIGHT: SEGREDOS REVELADOS
THE BOSTON GLOBE
Editora: VESTÍGIO       
Ano: 2016
Nº págs: 320
Gênero: Não Ficção

SINOPSE: "Ganhador do Prêmio Pulitzer, este livro conta a história real de um grupo de corajosos jornalistas que denunciaram uma sucessão de abusos de crianças, obrigando a Igreja Católica a prestar contas. Em janeiro de 2002, o jornal The Boston Globe publicou uma série de reportagens que chocou o mundo. Centenas de crianças em Boston sofreram abuso sexual por parte de padres certos de sua impunidade, eles agiam com o aval das autoridades religiosas, que acobertaram seus crimes por décadas. As reportagens revelaram a obscena quantia gasta pela Igreja Católica com subornos para comprar o silêncio das vítimas cujas vidas foram devastadas por pedófilos que, vestidos com o hábito, tinham o Pai Nosso na ponta da língua. A denúncia abalou as estruturas da Igreja Católica e deixou milhões de fiéis no mundo inteiro estarrecidos, furiosos e indignados: a instituição, em vez de servir e proteger a comunidade, usou sua poderosa influência para se resguardar do escândalo. Este relato, que inspirou o filme Spotlight, indicado ao Oscar em 6 categorias, é uma exposição violenta e importante do abuso de poder por uma das mais altas esferas da sociedade. The Boston Globe foi o único jornal que teve a persistência e a coragem de enfrentar essa história, forçando a arquidiocese de Boston a quebrar o sigilo de documentos internos, que escancararam, finalmente, as proporções do escândalo. Peggy Noonan, The Wall Street Journal"

SPOTLIGHT foi originalmente lançado em 2002, mas nunca tive conhecimento sobre o livro. Ele só foi se tornar meu desejado após saírem as indicações para o Oscar desse ano. Quando o filme foi anunciado, corri para obter mais informações, e fiquei um tanto quanto incrédula sobre o tema dele: padres pedófilos. Assisti ao trailer, assisti ao filme, e depois disso tudo o que queria na vida era ler o livro. E foi o que fiz.

SPOTLIGHT foi uma leitura bastante pesada e que me tomou vários dias, pois eu lia um capítulo por dia, primeiro por não querer terminar, segundo por querer estar em constante contato com essa verdade tão porca que ele apresentou, terceiro porque é um livro pesado e que não mede palavras, não mede mesmo! Apesar de o tema ser polêmico, achei que as palavras seriam mais amenas ao falar dos padres católicos, mas PREDADORES SEXUAIS, ESTUPRADORES, PADRES PEDÓFILOS e derivados, foram palavras que apareceram corriqueiramente durante as páginas; a vida e os feitos horrendos desses supostos homens de Deus também.

Fiquei muito chocada com a leitura por achá-la pesada, mas muito mais por ver a facilidade com que muitos dos padres acusados admitiam a culpa, alguns parecendo até achar normal e que existia exagero por parte das vítimas. Fiquei entristecida por ver pais e mães se calarem diante dos fatos para manter a imagem da igreja intacta e mais chocada ainda por ver que os superiores desses padres, ao tomar conhecimento do que eles faziam, apenas os realocavam para outras paróquias, onde eles continuavam tendo a oportunidade de cometer mais e mais estupros. Os colegas que os pegavam no flagra e nada faziam também me deixaram incrédula! Como podem ter visto atos tão perversos sendo cometidos contra crianças e nada sendo feito?

Durante 95% do livro fiquei ao lado das vítimas, é óbvio, mas uma delas me chamou a atenção e não sei se “engoli” muito bem sua vitimização, pois o rapaz confessou ter se relacionado com o padre em questão por mais de dois anos, e que só havia resolvido falar o que o padre fazia depois que tomou conhecimento que ele fazia o mesmo com outros garotos e ele não era o único. O depoimento dessa vítima pareceu mais uma questão de despeito e ciúme do que uma revolta por ser abusado por anos. Precisei falar desse ponto em questão na resenha porque me senti um tanto incomodada com o relato do rapaz. Não sei se interpretei errado os seus sentimentos ou se outras pessoas que leram também interpretaram assim, e gostaria muito de obter a opinião de vocês acerca dessa passagem específica. No mais, o sentimento de incredulidade foi o que tomou conta de mim.

Não sou uma pessoa religiosa, e acredito que SPOTLIGHT seja o tipo de livro necessário para todos aqueles que depositam uma fé louca e cega, em qualquer tipo de crença, tenham um choque de realidade e percebam que as imperfeições também existem dentro da igreja; o pior é que nos casos retratados as imperfeições constituem crimes, crimes repugnantes que tentaram ser mantidos de baixo do tapete por muitos e muitos anos. É impressionante a quantidade exorbitante de dólares que a igreja católica gastou para indenizar todas as vítimas, mas mais impressionante foi ver a quantidade de predadores sexuais que eles permitiram repetir os crimes por vezes e vezes e mais vezes. Fiquei indignada por ver como o alto clero tratava do assunto como se fosse algo pequeno, sem tanta importância, como se os deslizes cometidos fossem algo de natureza comum e que as pessoas deveriam se acostumar. A frieza dos depoimentos e cartas de alguns padres é de fazer congelar a alma. Foi difícil, muito difícil acreditar que esses homens realmente prestaram um juramento em nome de Deus.

Os dois últimos capítulos do livro foram tediosos, pois eles levantaram a questão da reforma que deveria existir na igreja, falaram sobre não existir mais o juramento do celibato e permitir a ordenação de mulheres. Questões que achei sem importância alguma frente a toda mácula que apresentou nos capítulos anteriores.


SPOTLIGHT foi uma leitura excelente! É preciso estômago para ler, mas é brilhante! Recomendo de olhos fechados e com certeza vai para minha lista de favoritos desse ano.



Comente com o Facebook:

12 comentários:

  1. A história do livro parece ser forte e marcante, já li muitos livros fortes como Hoje eu sou Alice e 3096 dias, são livros que em si no final te trás uma lição de vida e que a justiça ainda que capenga funciona. Não sei se irei ler, se for ler não será agora, mas a resenha ficou ótima como sempre.

    Bjim

    Ps: Eu acho que seria uma boa leitura para o blog o Hoje eu sou Alice e também o livro 3096 dias, fica a dica ;D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kau, ainda não li nenhum desses dois que você indicou, mas conheço o 3096 dias. Hoje Eu Sou Alice nunca ouvi falar, mas vou atrás nesse minuto ^^

      Bjs

      Excluir
  2. Eu não assistir ao filme e não li o livro. Gostei da resenha, você deixou muito claro as emoções despertadas pelo livro. Quanto ao relato do garoto que te incomodo, acredito que nem sempre a vitima tem consciência de que esta em uma relação de abuso. Talvez a denúncia tenha sido sim por ciumes, mas isso não descarta a posição da vitima e do agressor. Para um abuso durar tantos anos algumas vitimas acreditam que estão em um "relacionamento amoroso" e é um processo a desconstrução desta relação. Sobre os dois últimos capítulos acho de extrema importância, ficaria decepcionada se não houvesse algo deste tipo no fim da leitura. É importante que alem de se levantar e abordar os problemas sejam propostas possíveis soluções para que ocorra uma mudança efetiva.
    Parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lu, a sensação que tive com o rapaz foi realmente essa, que ele sentia estar em uma relação e pior, uma relação NORMAL! Acho que isso que mais me assombrou e fiquei indignada por ele ter tomado uma atitude só quando descobriu outras vítimas. Fico pensando como essa criança foi convencida de que aquilo que estavam fazendo com ele era normal. Aliás, pensei isso em relação a todas as vítimas.

      Em relação aos dois últimos capítulos, realmente não consegui enxergar por esse lado que você disse. É que tantas coisas ruins foram apresentadas, que não acredito que nenhuma das duas propostas acabaria com o problema, pois não acho que a falta de mulheres impediria o abuso, pelo contrário, o livro até fala de freiras que abusavam de crianças também, e temos o caso de professoras, etc... E quanto ao celibato, também não acho que ele mudaria algo, não acho que esses homens fazem isso por causa da falta de vida sexual, acho que é um problema de moral, ética e caráter mesmo, infelizmente :(

      Excluir
  3. Vi que esse livro é bem interessante já que é um tema diferente. Já tenho ele na lista e vou ler em breve.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depois volta pra contar o que achou, Gi.

      Bjs

      Excluir
  4. Oi, Mari. Uma pena que os dois últimos capítulos foram tão tediosos, e mesmo assim não foi o suficiente para você tirar estrelas.
    Estou lendo e estou gostando bastante, está me fazendo repensar muitas coisas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Naty, quando terminar, volta pra contar o que achou.

      Bjs

      Excluir
  5. Oi.
    Não vi o filem e nem li o livro, mas já conhecia a sinopse, de outras resenhas. Por ser um tema forte,polemico e de extrema importância, creio que deve ser uma leitura um pouca mais exaustiva e requer mais de sua sensibilidade. Ainda não estou preparada para começar a ler essa obra, mas daqui há algum tempo, quem sabe. Mas a dica é realamente valiosa. Obrigada por sua resenha, sempre na medida certa. bjs

    ResponderExcluir
  6. Miga, não li o livro nem assisti ao filme, pois não sabia que era essa a temática. Gosto muito desses livros que tem leituras pesadas e consideradas tabus, então esse com certeza virou um desejado. Enfim, com relação ao guri que vc acha q foi ciúme...Cuidado com o julgamento. Tem uma série de distubios psicologicos onde a vitima acredita estar apaixonada por seu abusador, mas isso não diminui o crime de quem cometeu, entende?

    ResponderExcluir
  7. Oi!
    Também só fui conhecer o livro pela indicação do filme ao oscar, mas ainda não tive oportunidade de assistir, achei o livro interessante e com certeza pelo tema uma leitura bem densa, mas não é o tipo de livro que gosto de ler !!

    ResponderExcluir
  8. Foi uma investigação que serviu para abrir os olhos de muita gente e depois do filme alertar muito mais pessoas.
    Casos de abusos cometidos por padres sempre são abafados ou não ganham a repercussão que deveriam pelo poder da Igreja, por isso essa leitura é tão importante, mostra que não somos perfeitos, nada é perfeito e tudo pode ser deturpado, que sempre haverá pessoas más em todos os lugares.
    Pretendo fazer essa leitura e tirar minhas conclusões, até sobre a parte que você falou que o depoimento não te convenceu, quando ler volto e comento o que achei.

    ResponderExcluir

* Deixe seu comentário e me faça feliz :D
* Se você tem um blog, não esqueça de deixar o link.