12 de fevereiro de 2016

RESENHA: O GRANDE GATSBY - F. Scott Fitzgerald (Ed. Tordesilhas)




Olá, pessoal.

Hoje vim falar de um clássico que demorei um tantinho para ler: O GRANDE GATSBY do F. SCOTT FITZGERALD lançado pela editora TORDESILHAS.

O Grande GatsbyO GRANDE GATSBY
F. SCOTT FITZGERALD
Editora: TORDESILHAS              
Ano: 2016
Nº págs: 288
Gênero: Drama, Romance, Clássico

SINOPSE: A obra traz como pano de fundo a sociedade americana da década de 1920, época que ficou conhecida como a era do jazz. Ao se mudar para a casa ao lado, Nick Carraway adentra o mundo de extravagância e luxo de Jay Gatsby, um misterioso milionário que, na verdade, busca a atenção de um antigo amor, Daisy Buchanan, de quem se separou na Primeira Guerra Mundial. Um retrato pungente da decadência de uma sociedade materialista e deslumbrada com o poderio do pós-guerra e dos trágicos danos causados por uma obsessão lancinante com o passado. A edição traz ainda o prefácio à edição americana de 1934, escrita pelo próprio Fitzgerald; um posfácio do escritor americano Alex Gilvarry; uma seleção das cartas que Fitzgerald escreveu a Maxwell Perkins, seu editor à época da publicação de 'O grande Gatsby'; e a cronologia da vida e obra do autor.

Sempre tive muito interesse em ler O GRANDE GATSBY, mas por sempre ter protelado a leitura, acabei assistindo ao filme primeiro, e fiquei um tantinho decepcionada. Sempre achei que essa história giraria em torno da incomum e misteriosa figura do Gatsby, mas o filme teve um ar tão festivo que PARECEU se afastar muito disso. Por causa dessa sensação, acabei deixando a leitura para trás.

Como em 2016 resolvi que leria mais clássicos, resolvi que era hora de ler O GRANDE GATSBY e fui magnificamente surpreendida por uma grande história, que, sim, gira em torno de um homem misterioso chamado Gatsby! \o/ Homem esse que é um milionário, promove festas deslumbrantes e que está na busca de seu antigo amor, de quem se separou na Primeira Guerra.

A obra também retrata a futilidade e, porque não dizer, a imbecilidade, da sociedade da época, preocupada apenas com glamour, dinheiro, status e círculos sociais. Não nego, mais que conhecer a personalidade de Gatsby e do narrador, Nick, o mais interessante foi acompanhar as preocupações inúteis dessa sociedade e ver como eles moldavam suas vidas e caráter através de nada!


Mas o que mais me espantou durante a leitura foi relembrar do filme. Eu lia uma e outra passagem e lembrava que aquilo estava no filme! Eu tinha certeza de ter visto aquilo! Resolvi então rever para formar uma nova opinião após a leitura, e por fim acabei gostando do filme, que sim, retrata muito do livro, mas por ter imensas cenas de festas, tão elaboradas e coloridas, pareceu apagar todo o restante, que na verdade está ali: as traições, paixões, luta pelo amor, mentiras, ganância, futilidades... Depois da leitura de O GRANDE GATSBY consegui apreciar a adaptação com outros olhos, e depois de ter me deliciado com a narrativa do FITZGERALD só posso dizer que me arrependo de não ter lido antes e que sinto um enorme desejo de ler algum outro livro do autor, qualquer um, pois sua escrita é realmente revigorante e de uma fluidez imensa! Leiam!


Comente com o Facebook:

25 comentários:

  1. Eu vi o filme e fui ler depois e achei bem parecido e muito bom. Ambos. O filme tem essa cara muito festiva mesmo, mas acho que passou bem a ideia do livro. E que livro! Concordo com a questão do retrato da futilidade daquela época, mas se quer saber... hoje em dia não é muito diferente. Fui lendo e identificando coisas que vejo em pessoas conhecidas, esse apreço por riquezas e toda a baboseira do status e glamour. É quase uma crítica atemporal, parecia que estava lendo uma coisa que retratava o nosso tempo. Ao menos foi o que senti com a leitura. E ver o filme depois deve ser ainda melhor, porque mesmo com aquele clima de "tudo é festa" ficou tão interessante e reflexivo quanto o livro. É uma obra e tanto não é?! Também tenho vontade de ler outros livros dele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cris, você tem razão! É uma obra atemporal, a sociedade de hoje, infelizmente, não mudou muito, acho que até está pior, é assustador o comportamento humano, que a cada dia parece decair mais :/
      Adorei seus comentários.
      Bjs

      Excluir
  2. Mari!
    LI esse livro há alguns anos e depois assisti o filme.
    Realmente retrata muitas coisas do livro e fazemos a correlação.
    As festas mostram a futilidade encontrada na época.
    “A sabedoria superior tolera, a inferior julga; a superior perdoa, a inferior condena.”(Augusto Cury)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Top Comentarista fevereiro, 4 livros e 3 ganhadores, participe!

    ResponderExcluir
  3. Eu gostei demais, o filme teve grandes atuações, os atores são todos muito bons, acho que consegui pegar bem o espírito da coisa. Sabe que achei engraçado tu falar na resenha dos padrões fúteis da época. Não acho que mudamos taaanto assim, infelizmente. (Mas vamos! :D )

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Ro, não mudamos nada! Infelizmente mesmo :/

      Excluir
  4. Mari, apesar de você ter gostado tanto da obra que retrata a vida de Gatsby e dos prazeres da sociedade daquela época, confesso que pouco me interessei pela obra, pois histórias assim pouco costumam me agradar, apesar deste ser um clássico. Por outro lado, gostei muito da resenha ;)
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fiquei feliz que tenha gostado da resenha, Le. Pense em dar uma chance mais pra frente ;) Quem sabe você não acaba gostando.

      Bjs

      Excluir
  5. Maravilhoso.
    Eu modéstia parte prefiro ler primeiro o livro e depois assistir o filme, conheço bem esse sentimento que teve em relação ao filme, a único filme que assistir antes de ler o livro foi a readaptação de Uma longa Jornada do Nicholas Sparks, que confesso que amei...
    Bom Dia.

    ResponderExcluir
  6. Tenho esse livro porem ainda não li, parece mesmo ser ótimo, gostei muito do filme, essa resenha me deixou ainda mais interessada em conferi essa história.

    ResponderExcluir
  7. Que bom que o filme, de certa forma, foi fiel ao livro. Adoro a obra do Fitzgerald e preciso revisitá-lo.

    http://porquelivronuncaenguica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi Mari! Eu não vi o filme e agora com sua dica, vou ler o livro antes para entender melhor. Nunca li nada do autor e esta obra está no top de desejados desde que li um livro inspirado nela. Espero gostar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cida, recomendo mesmo a leitura primeiro. Fiz o inverso e me arrependi.

      Bjs

      Excluir
  9. Eu quero muito ler este livro.
    Eu só espero conseguir uma edição que não seja a capa do filme. Não curto
    Bem, eu acho muito show as retratações destes tempos de glamour e futilidade.
    As festas só serviam para ostentar poder e daí vinham as traições e tantas coisas...
    O personagem tem essa coisa mais romântica ao querer encontrar o amor do passado...
    Não quero esperar e especular, preciso ler logo.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Edna, entendo sua relação com livros e capas de filmes, geralmente tb não gosto, mas prefiro mil vezes essa a qualquer uma que saiu aqui no Brasil. Vai entender, rs.

      Bjs

      Excluir
  10. Já vi o filme e gostei demais da conta, com certeza quero ler o livro, espero que seja esse ano ainda hahaha
    Sua resenha como sempre está impecável, parabéns!

    Beijos,
    www.meuexpresso.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada :)
      Depois que ler volte pra contar o que achou.

      Bjs

      Excluir
  11. Li Gatsby faz um tempinho e a história é apaixonante. Daisy consegue ser encantadora e irritante ao mesmo tempo. Nick é os nossos olhos e Gatsby acaba vivendo uma ilusão tremenda.
    A leitura vale muito a pena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkk, eu ri com o comentário sobre Daisy, mas é verdade, encantadora e irritante mesmo. Adorei o comentário.

      Bjs

      Excluir
  12. Bem eu não assisti o filme, nem li ol livro, mas tenho vontade de ler esse clássico, os personagem me parece que tem personalidades fortes não é? Ja esta na minha lista de leitura a um tempão.

    ResponderExcluir
  13. Eu confesso q achei tão chato o filme que nem conseguir assistir por completo, ora mudava de canal, a conciencia batia voltava pro filme...dai fiquei com a sensação de que perdir meu tempo assistindo o filme...Quem sabe eu seja a sortuda da vez...Espero mudar a minha opnião em relação ao livro..rs. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nilde, tente, a 1ª vez que vi o filme fiquei meio chateada com o ar festivo e não consegui pegar as demais referências. A leitura me ajudou muito.

      bjs

      Excluir
  14. Já tem um tempo que quero ler esse livro e nem vi o filme para não atrapalhar muito, os livros para mim são sempre melhores que os filmes, preciso também ler alguns clássicos e esse autor me chama a isso, gostei da premissa e espero gostar da leitura.

    ResponderExcluir
  15. Oi, Mari!
    Que gostoso que você tenha conseguido uma boa experiência ao dar uma nova chance ao filme. Eu não sou muito de assistir ao filme antes de ler o livro, mas se acabo assistindo e não gostando já desisto da leitura, já desisto de tudo :X
    Nunca tinha lido nenhuma resenha desse livro, não fazia nem ideia do que se tratava mas achei bem interessante. perceber como era a sociedade e suas imbecilidades, como diz você, deve ser bom até mesmo para refletir sobre a sociedade atual.

    Beijos,
    Kemmy - Duas Leitoras| CONCURSO CULTURAL: escolha um nome, ganhe prêmios

    ResponderExcluir
  16. Realmente os filmes andam nos decepcionando um pouco em comparação aos livros, os filmes também tem seus limites...Eu ainda não conhecia esse livro e depois da sua resenha estou bastante interessada em ler, sei que vou gostar muito. Bjoos

    ResponderExcluir
  17. Essa leitura mostra a necessidade de deixarmos algumas coisas para trás, mesmo as que foram boas. E mostra também a dificuldade que pode ser, saber o que deve ser mantido apenas como uma boa lembrança e não revivido. Às vezes, na tentativa de reviver algo bom, resulta algo ruim e trágico, que acabará deixando uma nuvem negra sobre boas lembranças e fazendo com que você não viva, de fato. Pois tudo é uma tentativa de repetir algo que já foi.

    ResponderExcluir

* Deixe seu comentário e me faça feliz :D
* Se você tem um blog, não esqueça de deixar o link.