23 de agosto de 2013

RESENHA: GATACA - Franck Thilliez (Ed. Intrínseca)

Boa tarde, galera.

Ontem terminei de ler um livro que me deixou de boca aberta! GATACA do FRANCK THILLIEZ lançamento desse mês da INTRÍNSECA.

GatacaSINOPSE: O cadáver de uma jovem cientista descoberto na jaula de um centro de estudos de primatas, provavelmente espancado por um chimpanzé. Os restos mortais de uma família de neandertais, assassinada por um primitivo homem de Cro-Magnon, achados no topo de uma montanha nos Alpes. O assassino de crianças Gregory Carnot encontrado morto em sua cela, na cadeia. Um ginecologista especializado em genética selvagemente assassinado dentro de casa. Que elo invisível une esses crimes atrozes, cometidos com trinta mil anos de diferença? Os policiais Lucie Henebelle e Franck Sharko se lançam numa investigação em conjunto. Destroçados pelas terríveis experiências que compartilharam, devorados e estimulados pelo ódio, Lucie e Sharko seguem a trilha da Evolução das espécies, num suspense arrebatador que os conduzirá às origens do Mal. 

Meu primeiro contato com FRANCK foi com SÍNDROME E (resenha). Fiquei em êxtase com a leitura, tamanha genialidade do autor para conduzir a história; e ao mesmo tempo, em choque, por ver que ele trazia um suspense com tema TOTALMENTE diferente do que é comum a esses livros. Foi com grande entusiasmo (e com muitos emails enchendo o saco da Luíza da Intrínseca) que aguardei o lançamento de GATACA.

Sabe quando você lê um livro de um autor e ele é tão bom, mas tão bom, que você fica com aquela terrível sensação de que ele nunca mais vai conseguir se igualar ao livro anterior e você vai ficar decepcionado? Pois é, apesar de toda minha ansiedade em relação à GATACA, pensei exatamente isso, porque nada poderia ser mais diferente e extraordinário que SÍNDROME E.

Obviamente me enganei, afinal, THILLIEZ é o quê? Escritor? Gênio? Pesquisador? Não! O sujeito é uma mistura dos três e de muitas outras coisas que nem consigo expressar. A verdade é essa: estou sem palavras para expressar o que senti com GATACA!

Uma coisa que adoro nos livros de suspense, é que, apesar de eles serem “séries” eles podem ser lidos de forma independente, pois não são uma continuação. Contudo, apesar de GATACA pertencer a essa fórmula, imploro para que antes vocês leiam A SÍNDROME E, do contrário, o magistral final apresentado em SÍNDROME vai passar despercebido.

O fato é que, mesmo GATACA não precisando ser lido na sequência, ele nos traz a história exatamente do ponto que o livro anterior terminou, e é por isso não vou entrar em detalhes. Mas após a tragédia que se abateu sobre Lucie, uma das policiais do livro, ela resolve desvendar todo o mistério que a envolveu em sua verdadeira derrocada. Para isso, vai contar com a ajuda de Sharko, um policial que também tem seus muitos demônios a enfrentar.

O livro começa com o assassinato de uma estudante em uma jaula de macacos. Em um primeiro momento o crime é atribuído ao primata, afinal, além de assassinada, a moça tem um pedaço da face mordido pelo animal (macacos e assassinatos, me fez pensar muito em Poe, rs). Quando é comprovado que o primata não poderia ter cometido o crime, e que a estudante em questão desenvolvia uma tese sobre a violência em canhotos, e que pouco antes de sua morte havia visitado um presidiário, canhoto, culpado por assassinato de menores, e que ele havia se suicidado, uma trama de proporções gigantescas é formada e a polícia começa suas investigações cercando todos os lados dessa fantástica história.

O que parece ser um livro policial comum, com desdobramentos imagináveis, vai ganhando contornos fascinantes e jamais pensados pelo leitor dos corriqueiros policiais (eu). De repente, somos inseridos a um mundo de genética e DNA, de pura ciência e conexões impensadas com os crimes que permeiam o livro. Os motivos, as razões, a cada momento parecem mais distantes de serem descobertos e revelados. THILLIEZ buscou explorar como a violência se “propaga” nos seres humanos desde seus primórdios, não apenas retratando os assassinos atuais, mas também nos revelando como a sociedade se comportava milhares de anos atrás e como conviviam com os seres violentos que assolavam as comunidades.

Além dessa mescla de ciência e primitivismo que o autor nos apresenta em GATACA, ficamos a todo momento curiosos a respeito da pesquisa que envolve a violência e os canhotos. Quase roí as unhas querendo que me dessem logo uma resposta sobre isso, e não, não sou canhota, se fosse, provavelmente teria pulado as páginas para procurar as respostas ao final, visto que a pesquisa apresentada é um fato real (pasmem!).

Não bastando o livro já ter tudo isso, o autor presenteia, nós, brasileiros, com parte do livro se relacionando ao Brasil e algumas tribos, e também com algumas partes se passando aqui no país. Mas não em lugares que estamos acostumados a conhecer, e sim nos recantos mais escondidos da Amazônia, o que, ao meu ver, tornou a leitura muito mais fascinante e interessante. Desde o princípio o Brasil é citado, mas quando se estabeleceu a relação com o país, a narrativa me conquistou ainda mais e fez com que eu não desgrudasse os olhos do livro por um segundo.

Quando terminei GATACA, fiquei alguns minutos pensando se tinha gostado mais dele ou de A SÍNDROME E. Cheguei à conclusão que é impossível escolher, primeiro porque, apesar de ambos os livros trazerem à tona o assunto da violência, eles são muito diferentes, contudo igualmente fascinantes. E em segundo lugar porque a genialidade do autor é demonstrada nos dois livros, de maneiras também diferentes, mas de forma que nos fazem pensar: “Porra! Como esse cara teve capacidade para escrever isso?!” Minha resposta é de que a inteligência de THILLIEZ é muito superior a de muitos e muitos autores. Por isso, deixei de pensar em comparar os dois livros e coloquei os dois como meus favoritos, afinal, não há nada mais que possa dizer sobre GATACA a não ser: “QUE LIVRO FODA!” (perdoem a expressão). Portanto, LEIAM!!!! 



FICHA DO LIVRO

GATACA
FRANCK THILLIEZ
Editora: INTRÍNSECA                      
Ano: 2013                  
Nº págs: 432
Gênero: Suspense, Policial



Comente com o Facebook:

6 comentários:

  1. Nossa depois dessa eu reciso ler algo desse gênial autor que voc6e tanto gostou! quero me surpreender também, apesar de não gostar muito de suspense, fiquei curiosa.
    beijos
    tamigarotaindecisa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Sou canhota, preciso desse livro! [rs] Já queria muito ler A Síndrome E, e agora vejo que devo ler os dois logo. Fiquei bastante instigada com seus comentários.

    Abraço!
    http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Sem dúvida...minha sensação é exatamente essa: que livros foda....muito bom msm!!

    ResponderExcluir
  4. Olá cara editora do blog. Sempre acompanho suas criticas e vejo que você, assim como eu, é uma super apreciadora de bons livros. Se puder me dar uma força na divulgação do meu blog, agradeceria muito. lidoeresenhado.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Também não consegui definir qual é o melhor. Eu fico impressionado com a capacidade de criação desse autor, comparável somente com o seu conhecimento. Ele não para de tirar cartas da manga, cerca você por todos os lados. Se um lance na história não te impressionou, pode estar certo que no capítulo seguinte ele já tem outra surpresa preparada. Foi a melhor leitura de 2014 e queria muito que a Intrinseca lance os livros anteriores, nos quais os personagens ainda nãos e conheciam. Ótima resenha, me trouxe de volta um pouco do gostinho de ler Gataca.

    ResponderExcluir
  6. Gente pelo amor de Deus ... Estamos em 2017 e terminei agora o livro Síndrome E e estou meu Deus que livro é esse pelo amor .... Eu preciso ler Gataca😮😮 Adorei sua resenha 😘

    ResponderExcluir

* Deixe seu comentário e me faça feliz :D
* Se você tem um blog, não esqueça de deixar o link.