16 de abril de 2013

RESENHA: UM ANJO BURRO - Christopher Moore (Ed. Bertand Brasil)


Oi, pessoal!

Como é bom voltar com tudo ao normal por aqui. A resenha de hoje será sobre um livro de humor (negro) que recebi da BERTRAND BRASIL: UM ANJO BURRO do CHRISTOPHER MOORE.

SINOPSE:  É a noite (ok,mais para semana) de Natal, e todos em Pine Cove, um minúsculo povoado na Califórnia, estão ocupados comprando, embrulhando e trocando presentes. Mas nem todos estão no clima para receber o bom velhinho. O pequeno Joshua Barker, de apenas sete anos, está desesperado: precisa de um verdadeiro milagre. Ele tem certeza de que viu o Papai Noel tomar uma pazada na cabeça e agora não faz outra coisa senão rezar para que ele volte dos mortos.

Oh!, e agora, quem poderá defendê-lo? O arcanjo Raziel.

Após barbarizar em O CORDEIRO, Raziel volta à Terra com uma missão: atender ao pedido de Joshua. Mas nosso herói não é dos mais inteligentes. De fato, ele é bem burro, e, num piscar de olhos, sua missão mergulhará Pine Cove num verdadeiro e aterrorizante caos.

O Natal mais hilário e horripilante da história está aqui.


O livro conta uma história que se passa na época de natal. E pelo ALERTA DO AUTOR, que recebemos no início do livro, já conseguimos sentir o que vem pela frente.

O ALERTA DO AUTOR diz: “Se você está comprando este livro como um presente para sua avó ou para uma criança, saiba que ele contém palavras de baixo calão, assim como descrições apetitosas de canibalismo e pessoas por volta dos 40 anos fazendo sexo. Não me culpe. Eu avisei.”

Bastou tal frase para que eu soubesse estar diante de um livro que me tiraria boas risadas. Mas, pela sinopse, eu imaginei que UM ANJO BURRO seria um livro policial com pitadas de humor negro, e que teríamos que desvendar o assassinato do Papai Noel. Porém, antes de iniciar a leitura procurei por algumas resenhas, e encontrei uma delas dizendo que se tratava de um livro de ZUMBIS!

Confesso que nesse momento desanimei. Não sou grande fã dos comedores de cérebro, mas já havia solicitado o livro e estava disposta a lê-lo.

Quanto à morte do Papai Noel, nenhum segredo é feito. Antes mesmo de a vítima ser assassinada o autor já conta que isso vai acontecer. Nenhum mistério é feito também quanto ao assassino. Então eu cheguei mais na metade do livro, sem uma investigação a ser descoberta e sem zumbis, pensei que estava louca, é claro, pois nada do que eu havia imaginado ou lido sobre o livro parecia acontecer.

Mas todas essas situações não me desanimaram, pelo contrário, é impossível desgrudar do humor ácido e sagaz de MOORE. Suas críticas a sociedade e comportamentos são hilários, seus personagens são fantásticos, ele explora TODOS os tipos de personagem. Do policial à maluca (minha personagem preferida), da criança ao “empresário”, dos anjos aos mortos. E finalmente, quando encontrei os mortos pensei: é agora! E foi! Na véspera de natal UM ANJO BURRO faz uma besteira e a cidade é invadida por zumbis!

Esqueça os ZUMBIS a lá THE WALKING DEAD. Aqui os zumbis são espertos, ágeis e têm línguas ferinas. É divertidíssimo quando eles encurralam um grupo de pessoas e começam a expor os segredos delas. É totalmente cômica a repetição que eles fazem de “quero cérebro, quero cérebro”. O livro lembra muito aqueles filmes de terror pastelão da sessão da tarde que hoje nos fazem morrer de rir.

Claro que a intenção do autor é usar do humor para fazer críticas a sociedade, modelos de vida, personalidades, etc, e ele atinge esse objetivo muito bem. Não bastando o livro ser excelente do começo ao fim, e de ter me dado um prazer enorme e diferenciado ao ler algo sobre zumbis, MOORE nos presenteia com respostas a algumas perguntas no final, e preciso dizer que elas são tão sarcásticas e tão carregadas de humor negro quanto seu livro.

Vou colocar o trecho da primeira pergunta e resposta para vocês conferirem porque achei simplesmente o máximo:

“QUAL É A SUA LEMBRANÇA PREDILETA DE NATAL?

Meu pai era policial e muitas vezes trabalhava até meia-noite nos feriados. Certa noite de Natal, quando eu ainda era muito pequeno, uns 5 anos, talvez, fiquei acordado até tarde, porque estava animado demais com a possibilidade da chegada do Papai Noel. Meu pai sabia que eu não iria dormir antes de ter visto o Papai Noel; portanto, quando chegou do trabalho, mas antes de entrar em casa, deu um tiro no chão com seu revolver e, ao passar pela porta disse: “Chris, está tudo bem, pode ir dormir agora. Eu vi o Papai Noel no telhado tentando entrar pela chaminé e dei um tiro nele.”
Chorei por horas a fio. Meu pai tinha um senso de humor meio macabro.”

Tem como não rir? Espero que vocês se empolgem para ler UM ANJO BURRO, leitura mais que divertida.


FICHA DO LIVRO


UM ANJO BURRO
CHRISTOPHER MOORE 
Editora: BERTRAND BRASIL                      
Ano: 2013                  
Nº págs: 266
Gênero: Humor


Comente com o Facebook:

3 comentários:

  1. Puxa, olhando a capa e o título, jamais diria que se tratava de zumbis! Sabe, nunca fui fã desses comedores de cérebro, até começar assistir The Walking Dead! Adoro o seriado, e fiquei bem interessada no livro, ainda mais por ter um humor sagaz. Valeu pela dica! :)

    ResponderExcluir
  2. Havia visto o livro no stand da livraria, cujo título me chamou a atenção. A resenha acaba de me convencer que tenho de comprá-lo. Grato
    http://www.joseewertonneto.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Havia visto o livro no stand da livraria, cujo título me chamou a atenção. A resenha acaba de me convencer que tenho de comprá-lo. Grato
    http://www.joseewertonneto.blogspot.com

    ResponderExcluir

* Deixe seu comentário e me faça feliz :D
* Se você tem um blog, não esqueça de deixar o link.