11 de agosto de 2015

RESENHA: O ÁLBUM - Timothy Lewis (Ed. Novo Conceito)



Boa tarde, pessoal.

Como disse ontem, até quinta-feira vocês vão poder conferir resenhas da NOVO CONCEITO, e hoje vou falar sobre O ÁLBUM, do TIMOTHY LEWIS.

O ÁlbumO ÁLBUM
TIMOTHY LEWIS
Editora: NOVO CONCEITO              
Ano: 2015
Nº págs: 240
Gênero: Drama, Romance

SINOPSE: Para Adam, negociante de objetos usados, a casa de Gabe Alexander é apenas uma propriedade que será esvaziada e vendida pelo maior lance. Entretanto, em meio às prateleiras repletas de relíquias, um álbum antigo atrai sua atenção. Nele há cartões-postais amarelados pelo tempo, escritos ao longo de 60 anos. Intrigado, Adam começa a lê-los: eles estão cheios de frases românticas e delicadas, as provas do amor incondicional entre Gabe e Pearl Alexander. Gabe cuidava para que um cartão chegasse às mãos de Pearl todas as sextas-feiras. Cada um deles possui não apenas um poema, mas verdades preciosas sobre o cotidiano de um casal que viveu um sonho. A soma de todas essas verdades talvez responda perguntas que Adam se faz há muito tempo.

Geralmente, quando vejo a NOVO CONCEITO lançando drama de um autor que nunca ouvi falar, dou uma enlouquecida, isso porque na imensa maioria das vezes me surpreendo e fico emocionada com a leitura, mas não foi bem o caso aqui.

Achei O ÁLBUM um livro bonito, mas nada além disso. O livro não conseguiu me emocionar ou arrancar suspiros ou tocar meu coração. Adam foi um personagem que não me surpreendeu e também não me convenceu. Por mais que ele falasse do seu divórcio e da falta da ex-esposa, não conseguia sentir que o personagem estava sendo sincero em seu sentimento; a mim, pareceu mais que, por ter encontrado o álbum, ele estava vivendo apenas um momento de nostalgia em relação a sua ex-vida de casado.

O fato de o livro ter sua história contada de forma alternada tornou a leitura bastante fluida, mas ela não foi suficiente para me agarrar para dentro das páginas ou fazer com que eu morresse de amor pelos personagens. Mesmo achando a história de Pearl e Gabe interessante, não consegui achar ela mais que bonita, e em alguns momentos a considerei até meio forçada e um tanto quanto floreada demais.

Creio que o que ficou de mais interessante no livro foram as mensagens sobre o amor e a forma que temos de enxergar esse sentimento e nossas relações com o próximo. Mas confesso que me surpreendi ao ler, no finalzinho, que a história foi baseada em fatos reais, que de fato aconteceu com os tios do autor. Acredito que se tivesse lido isso antes de ter iniciado o livro, o teria aproveitado muito mais, pois é diferente você fazer uma leitura sabendo que o que as páginas estão trazendo foi algo real. Como só descobri isso ao final, acabei ficando com vários questionamentos do tipo: será que tal parte foi verídica ou invenção do autor. É que quando leio livros baseados em fatos reais, sempre me jogo de cabeça na leitura e jamais especulo quanto a veracidade, mesmo que o autor diga que algumas coisas foram modificadas. Eu me jogo na leitura e só quero saber de conferir o que aconteceu na vida daquelas pessoas e não me interessa se algo foi ou não inventado, para mim, as pessoas tiveram aquela vida. Mas, por não saber disso em O ÁLBUM, acabei achando muitas partes forçadas, do tipo que foram escritas para ver se emocionava o leitor, e por não saber que foi baseado em uma história de amor real, fiquei achando forçado, algo que, provavelmente, não foi.


O ÁLBUM foi um livro bonito, sim, mas não teve nada de surpreendente ou que me levou a intensas lágrimas, que era o que eu esperava com a leitura. 


Comente com o Facebook:

6 comentários:

  1. Aprendi tem um tempinho a ir com expectativa 0 quando vou ler um livro, pra não me decepcionar com um livro por ele não ser o que eu imaginava kkk
    O livro me parece ser muito bonito e vou adorar lê-lo.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Oi Mari!
    Confesso quee estava doida para ler este livro, mas me desanimei um pouco.
    Em geral é bom que os dramas surpreendem e como este não é assim fiquei um pouco desanimada.
    Mas a capa é tão bonita!!
    Beijos!!!
    umlugarparaleresonhar.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Mari, minha teoria da NC continua forte. kkkkkkkkk
    Adoro uns dramas e acho que posso até me arriscar a ler esse ai. Mas acho que seria aquele livro que depois de lido vou passar logo a diante.

    Bjs,
    http://garotasdepapel.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Mari!
    Prefiro saber logo também quando o livro é baseado em histórias reias, porque dá mais veracidade e nem temos como questionar muito todo o acontecido.
    E quando se fala de amor, ainda mais, porque histórias verdadeiras de amor são comoventes e me encantam.
    “Sofremos muito com o pouco que nos falta e gozamos pouco o muito que temos.”(William Shakespeare)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir
  6. Mari, estou lendo esse livro mas achei ele tão zzzzz que até esqueci ele na minha vó e ainda não voltei pegar. Não sei, mas não senti empatia pelos personagens e talvez agora que sei que se trata de uma história real talvez quando pegar para ler novamente eu o veja com um outro olhar, mas por enquanto não faz muita diferença ler ou não ler, vejo ele mais como um livro para passar o tempo quando não tem nada mais interessante para fazer

    ResponderExcluir

* Deixe seu comentário e me faça feliz :D
* Se você tem um blog, não esqueça de deixar o link.