13 de outubro de 2015

RESENHA: SONHOS PARTIDOS - M.O. Walsh (Ed. Intrínseca)



Boa noite, pessoal.

Hoje vou falar de mais um livro incrível lançado pela INTRÍNSECA: SONHOS PARTIDOS do M.O. WALSH.

Sonhos partidos SONHOS PARTIDOS
M.O. WALSH
Editora: INTRÍNSECA
Ano: 2015
Nº págs: 256
Gênero: Drama, Thriller

SINOPSE: Baton Rouge, capital do estado da Louisiana, nos Estados Unidos, é uma cidade conhecida por seus churrascos no jardim, tardes quentes de verão, barris de cerveja gelada e muitos fãs de futebol americano. Mas no verão de 1989, quando Lindy Simpson, uma das garotas mais bonitas do bairro e estrela das pistas de corrida, é estuprada perto de casa, fica claro que os subúrbios bucólicos de Baton Rouge também têm um lado obscuro. Para uma vizinhança tão pequena, os suspeitos do crime são muitos. Entre eles o narrador da história, um adolescente obcecado por Lindy que mora na casa em frente à da garota. E é por meio de suas lembranças que somos levados a entender como términos de relacionamentos, culpa e amor podem transformar a vida de maneiras irreversíveis. Combinando o encantamento da infância com a história de um crime violento, em uma prosa perturbadoramente bela, M. O. Walsh analisa os momentos do passado que afetam de forma mais profunda a vida adulta. Uma estreia excepcional que combina suspense com reflexões filosóficas sobre memória, humanidade e verdade.

A INTRÍNSECA é uma editora que me assusta, e muito! Sempre fico impressionada com os livros que eles lançam, com a qualidade dos mesmos e a forma como conseguem me surpreender na esmagadora maioria das vezes. Com SONHOS PARTIDOS não foi diferente. Peguei o livro achando que teria um thriller em mãos, mas, quando dei por mim, percebi que ele se tornava muito maior que seu gênero.

O começo já é suficiente para prender a atenção de qualquer um, não apenas pela gravidade do estupro de Lindy, então com 15 anos, mas pelo narrador, que na época foi um dos suspeitos do caso por ter uma admiração um tanto quanto excessiva pela garota.

Esse começo já me perturbou, isso porque logo de cara considerei o narrador alguém não confiável, afinal, ele mesmo afirma ter sido um dos suspeitos, e mais, as informações que ele vai dando, a forma como vai contando algumas situações que vivenciou com a garota... Tudo isso me deixou de cabelo em pé. Ao mesmo tempo ele é tão magnífico, cru, sincero e fiel em seus relatos, que imediatamente ganhou minha simpatia, daí meu medo com a leitura: estaria eu adorando um narrador-personagem que na verdade era um estuprador que poderia ter maculado para sempre a vida de uma adolescente inocente?

Além de todos os motivos para reflexão que a obra já traz, acredito que esse foi o aspecto que mais me perturbou, pois não conseguia ficar indiferente ao magnífico narrador, ao mesmo tempo que temia estar me deixando levar por suas palavras bastante convincentes. Acredito que esse joguete foi o que tornou SONHOS PARTIDOS um enredo tão especial, que apesar de trazer o estupro como foco principal, não fica só nisso. WALSH aborda com uma riqueza ENORME a vida das pessoas em Baton Rouge, cidadezinha onde a história se passa. É justamente por termos conhecimento de tantos detalhes da vida de cada um dos personagens, que somos sugados para uma teia de descoberta de personalidades, algumas um tanto podres, outras bastante melancólicas.

Existiu um ponto na obra que me deixou meio que em desespero para chegar ao final, e foi o aparecimento de uma foto. Essa foto desencadeou uma sequência de acontecimentos que realmente me deixaram assustada com o que nossos vizinhos são capazes de esconder em seu íntimo, o quão podre pode ser uma pessoa em seu interior e o quão prestativa e “social” ela mostrar-se em seu exterior. Acho que esse foi apenas mais um dos pontos altos do livro, afinal, WALSH trouxe uma gama muito grande de caracteres aos seus personagens, fazendo com que eu ficasse de orelha em pé ao menor sinal suspeito de cada um.

A única coisa que me irritou um pouco durante a leitura foi a melancolia da mãe do protagonista. Ela, uma mulher divorciada, parecia não se recuperar jamais da situação, e tudo o que seu filho nos contava parecia fazer com que ela parecesse uma mulher triste e amarga, muitas vezes até exagerada. Porém, depois de outro trágico acontecimento em sua vida, acabei por perdoá-la e não me importar tanto com o aborrecimento que a personagem me causou no início.

Mas claro que temos algo de extremo brilhantismo na obra, e não, não é o fato de termos um narrador suspeito, ou de termos uma foto que desencadeia uma sucessão de fatores, ou ainda o próprio estupro. O que torna a obra singular é Lindy, a garota estuprada, que no início de sua juventude nos é mostrada como uma criança adorável, mas que em sua adolescência mostra-se alguém um tanto quanto cruel, sádica e despudorada. Simplesmente ADOREI a forma como WALSH transformou a vítima em alguém um tanto quanto horrenda, com atitudes deploráveis e imensas falhas de caráter. Isso enriqueceu ainda mais a obra e fez com que eu fosse a loucura durante a leitura, exclamando os mais diversos palavrões quando Lindy fazia ou falava algo. Se sua mudança de postura e atitude aconteceram por causa do estupro, é algo que cabe a cada um que fizer a leitura refletir. 


SONHOS PARTIDOS foi um livro brilhante e uma estreia impressionante. Esse vai para a listinha de “fodões” da INTRÍNSECA. Leiam! 


Comente com o Facebook:

7 comentários:

  1. Oi Mari
    Uau! Se está na lista dos fodões, então tenho de ler o mais rápido possível.
    Ele já está na lista de leitura desde que lançou.
    Gostei muito da sua resenha.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  2. Quero ler esseee livrooo! Adoro thrillers e apesar de não ser só esse o foco, a obra ainda chama minha atenção. Se você gostou tanto, é pq vale a pena!

    Www.cidadedosleitores.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Alexandre AlexGasparetto15 de outubro de 2015 12:21

    Quero muito ter em mãos logo esse livro...parece bem bacana!!!adoro qdo tem cidadezinhas de interior na história, geralmente seus segredos são mais sórdidos!!!

    ResponderExcluir
  4. Oi Mari
    Bem depois de ler suas palavras, preciso ler esse livro. Quero me surpreender tanto qto vc. Apesar de achar o tema forte, fiquei curiosa.
    Beijos.
    http://amagiareal.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Mari!
    O livro me parece um thriller muito mais profundo do que seria esperado.
    Bom saber que o autor dá uma personalidade forte a protagonista, não embota a verdade de tudo que aconteceu à ela e a transforma em alguém que realmente sofreu um grande trauma.
    “Quem quiser vencer na vida deve fazer como os seus sábios: mesmo com a alma partida, ter um sorriso nos lábios.”(Dinamor)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  6. Mari, estou surpreso com este livro. Não poderia imaginar esta capa fofa como um thriller nunca. Mas, o pior, uma coisa profunda e reflexiva, ações do autor em que nos fazem perguntar-nos em quem realmente acreditamos. M. O. Walsh faz com que fiquemos indeciso em relação as verdades dos personagens em quesito vítima ou acusado. Gostei!

    ResponderExcluir
  7. que livro interessante esse, quem diriia que aborda um tema tão doloroso.
    gostei da tua resenha e to bem curiosa para ler, é verdade que a editora sempre capricha nos seus lançamentos.

    ResponderExcluir

* Deixe seu comentário e me faça feliz :D
* Se você tem um blog, não esqueça de deixar o link.