10 de julho de 2015

RESENHA: AS ESPIÃS DO DIA D - Ken Follet (Ed. Arqueiro)



Muito boa tarde, pessoal.

Para encerrarmos nossa semana de resenhas, vou falar sobre AS ESPIÃS DO DIA D do KEN FOLLETT, lançado pela editora ARQUEIRO.

As Espiãs do Dia DAS ESPIÃS DO DIA D
KEM FOLLETT
Editora: ARQUEIRO              
Ano: 2015
Nº págs: 448
Gênero: Drama, Suspense

SINOPSE: Segunda Guerra Mundial. Na fúria expansionista do Terceiro Reich, a França é tomada pelas tropas de Hitler. Os alemães ignoram quando e onde, mas estão cientes de que as forças aliadas planejam libertar a Europa. Para a oficial inglesa Felicity Clairet, nunca houve tanto em jogo. Ela sabe que a capacidade de Hitler repelir um ataque depende de suas linhas de comunicação. Assim, a dias da invasão pelos Aliados, não há meta mais importante que inutilizar a maior central telefônica da Europa, alojada num palácio na cidade de Sainte-Cécile. Porém, além de altamente vigiado, esse ponto estratégico é à prova de bombardeios. Quando Felicity e o marido, um dos líderes da Resistência francesa, tentam um ataque direto, Michel é baleado e seu grupo, dizimado. Abalada pelas baixas sofridas e com sua credibilidade posta em questão por seus superiores, a oficial recebe uma última chance. Ela tem nove dias para formar uma equipe de mulheres e entrar no palácio sob o disfarce de faxineiras. Arriscando a vida para salvar milhões de pessoas, a equipe Jackdaws tentará explodir a fortaleza e aniquilar qualquer chance de comunicação alemã – mesmo sabendo que o inimigo pode estar à sua espera. As espiãs do Dia D é um thriller de ritmo cinematográfico inspirado na vida real. Lançado originalmente como Jackdaws, traz os personagens marcantes e a narrativa detalhada de Ken Follett. 

Meu primeiro contato com o FOLLETT foi com o romance histórico, UM LUGAR CHAMADO LIBERDADE , que, apesar do gênero, não é como os livros voltados apenas para o romance. O livro tem muita ação, muita intriga, muita pancadaria e muita politicagem, ou seja, tem tudo que eu ADORO <3. Diante de uma primeira experiência muito positiva, resolvi que era hora da segunda, e dessa vez tinha que ser um thriller, pois todo mundo me falou que o homem é mais que genial escrevendo o gênero. E realmente, com AS ESPIÃS DO DIA D constatei que FOLLETT é tudo isso mesmo! Mas o mais surpreendente é que li que esse não é o melhor livro dele (!!!) ou seja, estou curiosa para ter mais e mais experiências e sempre me surpreender.

Diante desse início tão elogioso, eu estaria chovendo no molhado se começasse a fazer elogios sem fim, mas seria humanamente impossível escrever essa resenha sem eles, mas vou tentar dar um panorama mais geral de AS ESPIÃS DO DIA D.

Primeiro motivo pelo qual morri de amores pelo livro: Segunda Guerra Mundial. AMO tudo que se refere a esse período e não consigo não enlouquecer por um livro que traz esse marco histórico em seu enredo. O que mais me deixa absorta na leitura desse mote é que por mais que eu já tenha lido vários livros com a premissa, eles sempre têm algo novo a acrescentar, sempre tem algo interessante, alguma revelação histórica para nos colocar a par. E é quando começa meu segundo motivo para morrer de amores pelo livro: a mistura da realidade com a ficção. Simplesmente não resisto aos livros que fazem essa mescla. Adoro estar lendo uma história e vir na internet fazer pesquisa sobre determinado assunto para saber se de fato aconteceu ou se foi invenção do autor para complementar sua obra. Sempre acho geniais autores que conseguem me fazer mergulhar nesse mundo tão complexo e tão misto, e FOLLETT fez isso de modo magistral e divino em AS ESPIÃS DO DIA D.

E aí chegamos ao terceiro e melhor motivo: as mulheres! Sim!, se ler sobre a Segunda Guerra foi magnífico, foi ainda mais ler sobre as mulheres que se destacaram nesse período e ajudaram a “construir”  história do mundo.

Pessoalmente, não tinha como amar mais esse livro. Claro que não vou dizer que tudo foi perfeito, pois não foi bem assim. Em alguns momentos a leitura ficou um pouco arrastada, mas compreendi que era apenas para tomar fôlego para algo que ainda ia chegar. E não nego que o romance inserido no meio do enredo não me agradou 100%. A verdade é que, apesar de ter sido bonito e até pertinente para criar laços com os personagens, achei a história de amor dispensável, ao menos para mim.


Independentemente desses dois pontos que citei, não poderia deixar de dar nota 5 a essa maravilhosa aula de história. Que todos vocês tenham a oportunidade de ler esse livro magnífico e se deliciar com a escrita do FOLLETT. Já estou preparada para mais livros do autor J


Comente com o Facebook:

17 comentários:

  1. Nunca li nenhum livro do Ken Follett, e já ouvi falarem muito bem dos livros dele. Também gosto muito de livros que retratam ou se passam na Segunda Guerra Mundial, ou em períodos desse tipo. Como o livro tem bastante ação, brigas (o que também gosto) fiquei querendo muito ler. Bjus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maaaa, AMO a 2ª Guerra. Só li bons livros do tema esse mês e esse foi um deles. Pode conferir sem medo!

      Bjs

      Excluir
  2. Eu só li dois livros do Ken Follet até hoje, mas amei os dois livros e pretendo ler muitos outros dele. Gosto bastante de livro sobre guerra, e pelo jeito também vou amar esse livro. Mesmo que uma parte tenha sido um pouco arrastado, e que o romance não te agradou tanto. Com certeza já está na minha listinha :D
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafa, qual os 2 que você leu? Estou procurando dicas de livros do autor.

      Bjs

      Excluir
    2. Eu li Os Pilares da Terra e Mundo Sem Fim. Super indico os dois :)

      Excluir
  3. Oi, Mari!
    Um thriller e inspirado numa história real?! Já fiquei interessada!! O que gostei de saber foi sobre o papel das mulheres nessa época tão sombria, geralmente nos livros ambientados na Segunda Guerra as mulheres ficam em segundo plano nas histórias. Vou anotar essa dica e pesquisar mais sobre esse autor que desconhecia até hoje.
    Bjos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Any, procure! Ele é O CARA! Só li 2 livros dele, mas já estou in love, rs.

      Bjs

      Excluir
  4. MARI!
    O autor realmente é excepcional.
    Gosto dos livros ambientados na guerra, qualquer uma delas.
    E com mulheres avassaladoras e fortes, fica ainda melhor.
    Pena que o romance foi meia boca, porque poderia completar a perfeição do livro.
    “Lutar pelo amor é bom, mas alcançá-lo sem luta é melhor.”(William Shakespeare)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe no nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rudy, acho que você vai adorar! Leia <3

      Excluir
  5. Bem-vinda ao clube dos fãs do Follett!

    ResponderExcluir
  6. Eu nunca li nada do autor... mas pela sua alegria demonstrada por palavras parece ter sido um ótimo livro...

    Diferente de você não gosto muito de livros ambientados na segunda guerra, gosto também dessa mescla de ficção com realidade.. e de mostrar a mulher tendo um papel importante, decisivo...

    Esse provavelmente não vai pra minha lista de leitura, mas algum dia caso ele chegue em minhas mão.. vou tentar ler..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Amanda, se tiver um tempo, leia-o. É como disse, sou suspeita para falar de livros sobre a 2ª Guerra, mas esse foi um dos melhores que li que abordam o tema.

      Bjs

      Excluir
  7. Oiee
    Você sempre acha o romance desnecessário nesses livros kkk,mas muitas vezes a história fica meio forçada ou sem nenhuma relevância mesmo.Eu também adoro livros que misturam ficção e realidade,e isso de dar uma pesquisa pra ver se o fato realmente aconteceu é sem dúvidas o melhor de tudo.Eu nunca li nada do Follet,mesmo vendo muita divulgação sobre aquela trilogia dele,da qual nem sei o nome,mas que todo mundo parecia amar.Quem sabe depois de ler os livros do Steven eu passe pra ele.
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Le, é a trilogia O Século. Sou doida para ler tb, mas o tamanho me assusta. De qualquer forma, já consegui os 2 primeiros. Só falta a coragem e vergonha na cara pra começar, rs.

      Bjs

      Excluir
  8. Ken Follet é muito divo, né? Não tem um livro desse cara que nãos eja bom. Impressionante! Eu quero ler a série do século lá, mas é tão grande....que sempre passo algum livro na frente dessa leitura! Hahahahaha
    Eu gostei do enredo desse livro e vou adicionar a minha lista de futuras compras com certeza!

    ResponderExcluir
  9. O que dizer, eu sou suspeita para falar de Ken Follett, é um dos meus escritores históricos favorito, ficando atrás apenas de Bernard Cornwell. Contudo Um Lugar Chamado Liberdade não é um dos melhores livros dele que já li. E As Espiãs do Dia D não solicitei para a editora porque sou besta, preciso remediar isso. Enfim, algo aqui me identifica com você, como já disse em outro comentário também adoro livros que apresentam esse contexto e que além disso mesclam a realidade a ficção, já leu Cornwell? Ele faz o mesmo de forma magistral. Quanto ao seu terceiro motivo é uma característica do autor criar personagens femininas fortes e bem estruturadas, não sei como ele conduziu isso neste livro mas com certeza deve ter sido de forma brilhante. Que alívio ver que nem tudo são flores, eu geralmente me vejo não gostando de certas coisas dos livros de Follett, mas no geral ele é maravilhoso. Acho que é melhor eu parar de babar ovo. Feliz por vc tbm curtir o autor!

    ResponderExcluir

* Deixe seu comentário e me faça feliz :D
* Se você tem um blog, não esqueça de deixar o link.